MACHU PICCHU, A MANEIRA MAIS BARATA PARA IR – Peru

MACHU PICCHU, A MANEIRA MAIS BARATA PARA IR – Peru

“Olá terráqueos!
Chegou o vídeo de Machu Picchu!
Nosso mochilão pelo Peru começou por Cusco e lá a principal atração com certeza é conhecer a “Cidade Perdida dos Incas”.
Machu Picchu sempre nos remeteu a fotografias de ruínas no meio de montanhas e confesso que fomos pra lá sem saber muito sobre a história Inca.
Em um breve contexto, Machu Picchu foi uma cidade Inca construída no topo de uma montanha. Lá se pode ver toda a organização da cidade e arquitetura das construções, com templos, terraços para agricultura, canais de água feitos nas pedras. Acredita-se que tenha sido um centro político, religioso e administrativo na época e hoje é considerada patrimônio cultural da humanidade.
Digamos que essa é uma apresentação muito formal pra o que é a experiência de conhecer Machu Picchu. Então, aqui vai nosso relato, começando do início:
Primeiro vale dizer que o trajeto pra chegar em Machu Picchu pode ser feito de várias formas. O mais prático e turístico é de trem que sai de Cusco e leva +ou- 3 horas pra chegar em Águas Calientes (ou pueblo de Machu Picchu) que fica no pé da montanha onde está realmente Machu Picchu, porém essa é a opção mais cara.
Dá pra fazer também o Caminho Inca, uma trilha feita com guia de 3 ou 4 dias até chegar em Machu Picchu, refazendo o trajeto que era feito pelos próprios Incas no meio da natureza, boatos que é lindíssimo!
E a maneira que fizemos foi contratar uma agência que nos levou de van até a hidroelétrica de Santa Tereza. Essa é a hidroelétrica que abastece Águas Calientes e ali a estrada para carros termina, é preciso caminhar os 14km restantes pelos próprios trilhos do trem para chegar no povoado. Foram 6 quase 7 horas de van em uma estrada que começa asfaltada e termina de chão bordeando montanhas, com muita curva e sobe e desce e em uma única pista para ida e volta. Foi um caminho bastante tenso !
Ao chegar na hidroelétretrica encontramos Carolina, Josh e Dolev e seguimos caminho (ao lado dos trilhos do trem) até Águas Calientes, um percurso de aproximadamente 2 horas e 30 minutos a pé. Apesar de longo, muita gente faz esse caminho e seguindo os trilhos não tem como se perder..
Em Águas Calientes reservamos um hostel pra tomar banho e descansar um pouco antes da árdua subida até a Machu Picchu. 04:00​ da manhã já estávamos caminhando pra primeira entrada de acesso ao sitio arqueológico que abre as 05:00​, depois de subir 1:15​ minutos de degraus altos chegamos a portaria de entrada (que abre as 06:00​).
Apesar de muito turístico, é indescritível a sensação de estar ali, sentir a energia e ancestralidade presente naquele lugar.. se deslumbrar com o conhecimento e tamanha conexão que os povos antigos tinham com a natureza, com as montanhas e estrelas..
Pudemos aproveitar durante 3 horas e meia toda a magnitude de Machu Picchu que é bem maior do que pensávamos.
Apesar do cansaço, consideramos que esse com certeza é um passeio obrigatório pra quem vai ao Peru.

E aqui vai os nossos gastos por pessoa (que pode, ou não, surpreender vocês):

Transporte até a Hidroelétrica Santa Tereza.
R$ 60,00

Entrada em Machu Picchu
R$ 173,00 (152 Soles)

Hostel
R$ 56,00

Alimentação
R$ 31,00

Total: R$ 320,00″